E-mail: cases@programacases.com.br
Siga-nos:
Topo

A importância de ouvir

A importância de ouvir

No dia 12 de agosto de 2000, um acidente com o submarino nuclear russo chocou o mundo. O submarino Russo Kursk, afunda com mais de 118 tripulantes. Poucas horas após o submarino ter afundado, algumas batidas no casco são ouvidas, mas que em pouco tempo cessam. A 108 metros de profundidade, qualquer barulho que os sobreviventes tentassem fazer, de nada adiantaria. Ninguém os ouviria.

O fim desse episódio nós conhecemos bem.

Gostaria de comparar esse infeliz e trágico acidente com o que acontece com muitas empresas. Em muitos casos, os funcionários batem freneticamente no casco, tentando chamar à atenção para algo que não está bem. Assim como aconteceu no Kursk, ninguém os ouve. Da mesma maneira, muitas corporações poderosas naufragaram em mares vermelhos, sem possibilidade de resgate.

Como num submarino, uma corporação, é na verdade, uma grande equipe, onde a hierarquia é bem definida e todos os seus membros são considerados importantes; cada um tendo uma função, e todos juntos fazem a empresa seguir em frente. Para navegar em "oceano azul" não basta ser grande, é preciso ser eficiente. Basta que um dos membros se torne negligente, ou sem compromisso, para que os estragos comecem a surgir. Segundo especialistas, é provável que o Kursk tenha afundado por falha humana. Alguém foi negligente.

Bastou que apenas um funcionário do Banco francês Société Générale, se tornasse negligente, para levar à falência um banco outrora rico e próspero. Parece que ninguém deu ouvidos às batidas no casco. Segundo Peter Drucker, a grande maioria dos problemas dentro das empresas, ocorre não por falha humana e sim por má comunicação interna.

Uma das maneiras de se conseguir eficiência é quando os líderes se dispõem a ouvir seus subordinados ou colaboradores.

As empresas poderiam ser mais eficientes e ágeis, se dessem mais atenção àquilo que seus subordinados estão falando.


"Os chefes sábios fazem boas perguntas, escutam e pedem ajuda." – Robert Sutton

Infelizmente, ouvir não é uma tarefa concebida e executada em muitas empresas. Muitos líderes com seus egos inflados não dão muita importância às opiniões de seus subordinados. Acreditam que são auto-suficientes e independentes. Claro que existem corporações que vão sobrevivendo dessa maneira. As batidas no casco são ignoradas sistematicamente. Até que um dia, o naufrágio bate a porta.

Líderes que desejam eficácia precisam levar em consideração, não apenas a sua opinião, mas o que pensam seus liderados. Ninguém sabe tudo de tudo. Todos somos interdependentes. A eficácia surge de muito diálogo, quando todos contribuem e todos participam. O que seria da Microsoft se fosse apenas o Senhor Bill Gates. Ou, o que seria da Apple se apenas as opiniões de Steve Jobs prevalecessem. Empresas nível 5 aprenderam que o trabalho em equipe é mais produtivo, dinâmico e recompensador.

"O material humano é vital para o sucesso de um empreendimento. Uma empresa pode ter máquinas, tecnologias, computadores, mas, se não tiver homens criativos, inteligentes, motivados, que saibam prevenir erros, trabalhar em equipe e pensar a longo prazo, ela poderá sucumbir." – Dr. Augusto Cury.


Por que acha que as redes sociais são um grande sucesso? Porque lá as pessoas são "ouvidas." Suas opiniões são levadas em consideração, e às vezes até demais.

Ouvir, essa é a grande questão aqui envolvida para a obtenção da eficácia. Sua liderança é pautada por essa atitude? Você consegue ouvir as "batidas no casco?" Tenha certeza que quanto mais der atenção à seus liderados, mais chance terá de levar sua empresa a um lugar seguro.

Um grande abraço a todos,

Vejam também em Dicas do FF, o videocast sobre o tema a importância de ouvir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 Comentários
  • Cristiane C.das Neves
    5 de agosto de 2011 ás 14:52

    Excelente matéria. Muito verdadeira, e muitas empresas realmente “quebram ” por diversos motivos, inclusive o apontado na matéria. A importância de ouvir é tamanha, pois pode além de trazer várias idéias, abrir oportunidades diversas.

  • Vera Lucia Pereira
    6 de setembro de 2011 ás 14:32

    Parabéns!

  • Jaqueline Barboni de Andrade
    25 de setembro de 2011 ás 13:02

    Parabéns! Adorei a matéria,muito boa mesmo..

  • Luiz Fernandes
    30 de setembro de 2011 ás 09:52

    Parabéns Fernando, vejo que além do sobrenome temos algo mais m comum, gostaria de pedir sua autorização para repostar este seu artigo em meu blog.

  • roseli xavier
    3 de abril de 2012 ás 11:26

    Mais uma vez parabéns!!! Não tem como não te aplaudir…

  • lilian
    18 de abril de 2013 ás 09:05

    Fernando, fico grata mais uma vez por nos ofertar maravilhas em apredizado!!!
    Bom dia.

  • wilson dreux
    13 de agosto de 2013 ás 15:13

    A arte de ouvir é uma dadiva, guando percebemos que ouvindo mais, teremos mais espaço para aprender e compreender o próximo tudo ao redor ficara melhor, A maioria das empresas não pratica e nem se educa para tanto. Ouvindo cheguei aonde estou. Excelente artigo

  • Eunice Ribeiro Silva
    14 de agosto de 2013 ás 16:54

    Parabéns Fernando! Excelente matéria. Acredito que ouvir é uma habilidade, um dom que pode ser desenvolvido.

  • MAX OLIVEIRA GROSSMANN
    16 de setembro de 2013 ás 09:36

    Novamente parabéns pela excelente matéria. Um tema polêmico mas cujo conteúdo foi bem desenvolvido e a sua mensagem chega até nós de forma clara e alta. Vou repassar para alguns ex patrões que tive.
    Abraço!

  • Fabio Cesar Muniz
    16 de setembro de 2013 ás 20:11

    Diz um ditado popular que temos 2 ouvidos e 1 boca exatamente porque muitas vezes ouvir é mais prudente do que falar. Assim é na vida profissional também. Excelente artigo.

  • leandro
    19 de setembro de 2013 ás 21:15

    Todos juntos e misturados,,jamais a equipe ficara vuneravel!Texto pertinente, inflói,,então contriboi.

  • Margareth Pina da Silva
    13 de março de 2015 ás 00:23

    Perfeita a matéria,temos de entender o que nos é informado, temos de saber interpretar aquilo que nos é falado…temos que saber ouvir, para interpretar e não apenas escutar o que foi falado.

Total
0