E-mail: cases@programacases.com.br
Siga-nos:
Topo

Comprometimento – por que é tão difícil?

Comprometimento – por que é tão difícil?

Em todos os meios de comunicação, temos ouvido muito o termo "comprometimento". Na maioria esmagadora, esse termo se refere à deficiência dos "empregados" ou dos "funcionários". Ouvimos que os empregados precisam ser comprometidos; ou que o nível de comprometimento por parte deles é baixa ou inexistente.

No entanto, gostaria de falar com vocês, sobre outro tipo de comprometimento. O comprometimento por parte dos patrões, empreendedores, líderes etc.

O compromisso, nunca deveria ser uma rua de mão única. Se há exigência de comprometimento por parte dos funcionários ou liderados, é preciso que da mesma forma, haja compromisso por parte da direção. Não adianta acreditar que dando o mínimo receberá o máximo. Toda ação trás em si mesmo uma reação.

Como é que a empresa pode mostrar comprometimento com seus funcionários? Eu acredito que existem muitas ações que podem ser implantadas, algumas até de baixo custo, que demonstrarão isso. Falaremos disso mais adiante.

No entanto, tenho ouvido muitos empresários se queixarem que seus funcionários não se comprometem com a empresa, fazem apenas o mínimo necessário. Perguntei certa vez a um empresário reclamão, qual era o plano de cargos e salários. Ele respondeu que não havia. E quanto a plano de benefícios? Ele respondeu que embora tivesse quase duzentos empregados, não fazia nada de especial. Nem mesmo plano de saúde. Quer dizer, para muitos empresários, o comprometimento é uma via de mão única.

Se os funcionários não veem exemplos, especialmente vindo de cima, dificilmente se comprometerão com alguma coisa. O engajamento só é possível, quando existe voluntariedade. "Ninguém lhe dará a mão, se não verem seu coração." J. Maxwell


Ninguém veste a camisa da empresa forçado. Apenas para dar um exemplo real, um amigo que trabalha numa grande indústria têxtil, comentou que a comida servida no refeitório é de baixíssima qualidade. Às vezes, segundo ele, simplesmente não dá para comer. No entanto, no refeitório da diretoria, que é ao lado, as coisas são bem diferentes. É possível ver a comida servida lá. Ele comenta que lá, tudo é servido por um restaurante de altíssima qualidade.


Sendo assim, cabe a pergunta, como pedir comprometimento dessas pessoas, quando na empresa existe uma discriminação gritante? É a isso que estou me referindo. Uma coisa é dizer que a empresa se preocupa com seus funcionários, outra é fazer.

"A liderança determina os rumos da empresa. A organização determina o potencial da empresa. Os funcionários determinam o sucesso da empresa." ― John Maxwell

Quando não existe comprometimento por parte da empresa, o empregado fica vulnerável e muda de emprego, às vezes, por qualquer quantia; faz isso, apenas por estar insatisfeito com seus líderes. O turn-over é pernicioso em qualquer corporação. Custa muito caro recontratar um novo funcionário. No entanto, mesmo sabendo dessas verdades, muitos líderes, empreendedores, fecham seus olhos e acreditam que nada vai os acontecer. Podem ter certeza, a fatura virá, e pode ser bem salgada.


As pessoas não pedem demissão da empresa, pedem demissão de seus chefes. James Hunt
Um grande abraço a todos,


Fernando Fernandes
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 Comentários
  • Marcineia Oliveira
    1 de janeiro de 2012 ás 20:36

    Gostei do artigo, infelizmente algusn chefes acreditam que podem exigir comprometimento de sua equip. Os profissionais estão cada vez mais instruidos e em busca de um trabalho significativo, as gerações são diferentes principalmente nesta questão.

  • Edson Vergilio
    5 de janeiro de 2012 ás 12:28

    Comprometimento exige integridade.
    ?Pois o certo é que Deus não rejeita o íntegro, e não fortalece as mãos dos que fazem o mal?. ? Jó 8:20.
    Ser integro é viver aquilo que prega. A integridade é uma das qualidades humanas mais importante e necessária, principalmente para o sucesso no mundo dos negócios e na formação das equipes. Para as pessoas integras, não existe meio termo, o que é certo é certo, errado é errado, verdade é verdade e mentira é mentira. Pessoas integras não são hipócritas, nem ?duas caras?. Pessoas integras, não tem nada a esconder, nem a temer. Suas vidas são um livro aberto.

    Ser integro significa fazer o que é certo tanto de dia quando todos estão vendo e também à noite quando ninguém vê. Significa fazer o que é certo, mesmo que isto lhe custe caro, machuque ou lhe torne impopular. Significa não infringir a ética, não sonegar impostos, não levar um simples clipes da empresa para casa.
    Ser integro significa não faltar com a verdade, significa ter um alto sentimento de honra, significa ter consciência e escutá-la, significa ter coragem das próprias convicções, significa obediência ao que não é exigido, significa ser um exemplo a ser seguido, modelo para os demais, mostrando que age movido por princípios nobres.
    A integridade alem de rara e admirada, ainda rende dividendos como arrojo ( o integro é confiante e acredita em si mesmo), persistência ( tem firmeza de propósito ), serenidade (reage bem aos contratempos e injustiças), amizade, confiança, admiração e respeito, virtudes essenciais a qualquer líder.

    Ter Compromisso com o trabalho ?duro?
    O exemplo deve vir de cima. O líder deve trabalhar mais que todo mundo.
    A característica mais admirável em uma pessoa é a sua dedicação ao trabalho e sua dedicação para fazer o melhor possível. Podem aparecer novos métodos, sistemas, novas tecnologias, mas ainda é o esforço, o empenho, a dedicação que faz as coisas acontecerem e os objetivos serem alcançados. Sem trabalho duro e ação, as idéias continuarão sendo simplesmente idéias. É a prática que leva ao acerto e a realização.
    Trabalhadores dedicados, isto é o que o nosso mundo realmente necessita. Pessoas que são comprometidas com o trabalho duro, pessoas que são insubstituíveis, pessoas dispostas a fazer o trabalho de dois, sem ter que sacrificar sua família, mas que inspirem os outros a darem um pouco mais que o necessário.

    Conclusão: A dedicação para trabalhar duro, é uma admirável qualidade do verdadeiro líder, mas infelizmente grande parte desses chefes estão mesmo é preocupados com os próprios umbigos e status do cargo e frente a qualquer crise normalmente encostam o bumbum na parede e usam dos seus poderes efêmeros para demitirem quem realmente trabalha e é comprometido com a organização. Esquecem que não dá para enganarem todo mundo por todo tempo e que normalmente deixam rastros e provas que os comprometem principalmente quando violam o código de ética da empresa.

  • João Anderson
    5 de janeiro de 2012 ás 19:09

    Olá,
    Excelente texto, a frase de impacto foi “Ninguém veste a camisa da empresa forçado”. boa leitura.

  • Miramys Araujo
    5 de janeiro de 2012 ás 21:11

    Fernando, concordo em gênero, numero e grau em tudo que está escrito acima. Merece ser compartilhado.

  • Flávio Haffner
    18 de janeiro de 2012 ás 12:33

    Quanta lucidez em sua postagem.
    Muitas empresas falam em planejamento estratégico e se perguntarmos na portaria das mesmas ninguém sabe dizer qual é o da própria.
    Em suma se consultarmos o meio acadêmico planejamento estratégico deve ser feito com o envolvimento de todos,portanto isso significa uma grande falha na comunicação interna.
    Como também existe a despersão por parte do funcionário,todavia não pela maioria e sim por parte.
    Parabéns Fernando pela sua postagem.
    Flávio Haffner

  • Gustavo Gomide
    10 de fevereiro de 2012 ás 11:07

    Fernando, mto bem concordo com o q vc disse e sem duvida alguma infelizmente é a realidade do nosso país. Ate quando teremos que aguentar esses tipos de ?empreendedores? que nada fazem pelo seu funcionario?

  • Ana Paula Tré de Moura
    6 de março de 2012 ás 18:35
  • marcio
    7 de março de 2012 ás 10:30

    Bom dia, e depois fazem perguntas tipo: Você está dando o melhor de si? Você pode cobrir uma folga de funcionário? Você pode ficar até mais tarde? Cadê a qualificação dos patrões, gerentes? Ninguém pergunta, ninguém exige. Tem cada coisa que devemos ver, escutar, e ainda fazer de conta que está bom!!!!!!!

  • MARCO ANTONIO NASCIMENTO
    10 de março de 2012 ás 11:51

    A principal matéria-prima de um bom líder é a sua equipe: pessoas.

    Quem é bom com gente, cresce na vida. Quem é ruim com gente: apodrece! Lembrando Hunt” As pessoas deixam pessoas (chefes), não as empresas. Sendo assim acredito que o maior custo de qualquer organização , seja pública ou privada, e até mesmo familiar, é a falta de liderança.

    O bom líder deve estar COMPROMETIDO em continuar aprendendo, principalmente sobre gente!
    Meu abraço a todos.
    http://www.semmaisdesculpas.com.br
    Marco Antonio

  • Graça Ferreira
    24 de março de 2012 ás 07:14

    concordo com vc. Ainda encontramos empresas deste tipo descrito por vc.
    Mas aquelas que atuam deferentemente têm seus problemas com os colaboradores que não se comprometem porque não se interessam. Acreditam que logo passarão para outra e por isso não perderão seu tempo.
    Infelizmente temos os dois lados da moeda.

  • Mônica
    29 de abril de 2012 ás 22:50

    Tudo que eu sempre quis dizer dessas empresas que dizem ser comprometida com seus funcionários, e também dos colaboradores que falam das empresas que tem seus benefícios e mesmo assim ficam reclamando…. enfim temos que conviver com esses fatos. Excelente comentário!!!

  • Tibério Tamai
    10 de julho de 2012 ás 19:17

    Caro Fernandes.
    Até que enfim alguém inverteu a situação.
    Sei bem o que é isso, pois vivo no dia a dia essa situação. As cobranças são muitas mas o empenho por parte da direção para que as coisas aconteçam é pouco.
    Falando especificamente do meu caso, a coisa vai de mal a pior.
    Começando pela desqualificação da direção na área administrativa até o empenho como havia dito acima, pois não sei como o diretor presidente de uma empresa quer que as coisas andem bem se ele esta presente menos de 2 a 3 horas por dia.
    E neste período tranca-se em sua sala.
    E como se não bastasse a falta de competência e capacidade ainda posa de empresário pra cima e pra baixo, com o faturamento em queda, salários atrasados, problemas de fornecimento por falta de crédito e por ai afora.
    Não consigo entender onde um “empresário” desses pretende chegar.
    É pena que quem realmente precisa, não lê artigos como este.
    Desculpe o tom de desabafo mas esto farto dessa ignorância arrogante dos ditos empresários.
    Abraço e sucesso.

  • David
    28 de novembro de 2012 ás 10:47

    Gostei do artigo.
    O maior ativo da empresa são os seus colaboradores, este fato é esquecido, sem eles a empresa não anda, além de que o capital humano é bem mais sensivel a qualquer mudança, não basta pagar salário, não basta dar benefícios, mas sim fazer um enquadramento gerado numa política coerente de RH.

  • Olympio Loyola Junior
    7 de dezembro de 2012 ás 15:54

    Até que enfim alguém remodelou a roda .Sempre falam em motivar o funcionário , e nunca os patrões.
    Parabens . é isto ai . Todos querem chegar ao topo da montanha, e alguns jogando pedras nos que tb estão subindo a montanha.

  • Frankc José de Andrade Medeiros
    8 de março de 2013 ás 00:59

    Quando assinamos um contrato de trabalho, ficamos sabendo de nossos deveres para com a organização e dos nossos direitos a receber. O comprometimento tão difícil dos líderes, chefes e demais gestores está na incapacidade de saber motivar os seus colaboradores a continuarem executando ótimos serviços. Por outro lado, a falta de motivação faz com que algumas pessoas percam gradativamente o compromisso com o trabalho. Não é preciso e nem necessário que os gestores captem o comprometimento de seus colaboradores através de promessas mirabolantes de premiações, caso atinjam determinadas metas. Um bom dia, boa tarde ou boa noite na entrada e saída de turnos, um muito obrigado pela produtividade ao final dos turnos e feedbacks constantes para todos os colaboradores, por certo que os motivarão a se comprometerem muito mais com os serviços a serem executados.
    A gerência e a gestão de pessoas, estão diretamente ligadas à liderança. Os gerentes e os gestores têm que, antes de tudo, aprenderem a liderar, cobrar, agradecer e trazer para si e para a empresa, todos os seus colaboradores.
    Acredito que assim nasça um bom comprometimento com os serviços.

  • Branca Maria Sampaio
    6 de abril de 2013 ás 02:45

    Como um empregado pode se comprometer se ele nem sabe como o seu trabalho influência nos resultados da empresa. Se não há comunicação entre líderes e equipes. Se em algumas empresas dizem “se você pedir demissão há uma fila de pessoas querendo o seu lugar”.

  • Augusto Barbosa Lima
    23 de abril de 2013 ás 15:37

    Fernando,
    Não querendo, de forma alguma, denegrir os empregados das empresas, a maneira como você explica esse comprometimento lembrou-me um raciocínio que faço com alguns clientes que gostam de sonegar impostos, de mentir para os clientes e de roubar nas medidas do que lhes é vendido pela empresa e, no entanto, ficam constantemente de olho em seus empregados no tocante ao roubo na empresa. Claro que os funcionários tão honestos quanto o patrão, sabedores de seus comportamentos, havendo oportunidade, irão passar a mão no que é da empresa; ação e reação.

  • Glisiane Rodrigues do Nascimento
    9 de agosto de 2013 ás 08:43

    Parabéns por mais um artigo que fala claramente das dificuldades de hoje nas empresas.

Total
0