E-mail: cases@programacases.com.br
Siga-nos:
Topo

Dez principais razões por que equipes fracassam

Dez principais razões por que equipes fracassam

1. Falta de diretrizes sábias que definam o propósito central da equipe e como essa trabalhará de forma unida para alcançá-la;

Muitas das vezes é preciso ser claro, especialmente com os novatos. Se as diretrizes não forem de fácil compreensão, todo o trabalho poderá estar comprometido. É preciso que cada um saiba exatamente o que fazer e quando o fazer. Os prazos precisam ser definidos, especialmente as prioridades.

2. Incapacidade de decidir no que consiste o trabalho pelo qual a equipe é responsável de forma interdependente e mútua;

Quando o líder deixa as coisas "andarem" e não se preocupa com as definições e atribuições de cada pessoa, a equipe fica parecida com um polvo de patins. Usando a ilustração de Peter Drucker, de que as empresas se transformaram em empresas LEGO, cada peça precisa saber exatamente onde se encaixa e sua importância dentro do processo.


3. Falta de responsabilidade mútua;

Infelizmente muitas empresas trabalham conforme vai o vento. Tudo vai bem até que não haja vento. Responsabilidade é uma característica que ou você tem, ou você não tem. Não existe essa coisa de que há pessoas meio responsáveis. Quando as pessoas numa empresa começam a fazer vista grossa quanto ao que é sua responsabilidade, as coisas começam a desandar. É como estar fazendo um bolo. Se quem está batendo a massa o faz de qualquer maneira, não há bolo pra ninguém.

4. Falta de recursos para cumprir com o trabalho, incluindo o tempo;

Bem, digamos que o líder precisa ter certeza que há condições para que determinado trabalho seja realizado. Se o trabalho exigido demanda por recursos financeiros, é preciso disponibilizá-lo. Caso contrário, começará o jogo de empurra. Se não acontece aquele ditado: "casa onde falta o pão, todos brigam e ninguém tem razão."


5. Falta de liderança eficaz e liderança compartilhada;

A liderança eficaz, muito bem documentada pelo falecido e mestre Peter Drucker, no seu livro "Gerente Eficaz", é perfeito.

O líder quando não aplica e não executa seu conhecimento a favor de seus liderados e da corporação, gera grande desconforto na equipe.

6. Falta de normas que fomentem a criatividade e a excelência;

É preciso dar liberdade criativa às pessoas que trabalham ao seu lado. Algumas empresas de sucesso até mesmo incentivam o ócio criativo na empresa. É preciso que a empresa aplique o empowerment.

7. Falta de planejamento;

Planejar, essa é a palavra chave quando se pretende chegar a algum lugar. Ninguém faz uma viagem a um lugar desconhecido sem os devidos planejamentos. Quantas pessoas se perdem ao tentar chegar a um destino. Na  maioria dos casos, não houve planejamento. Checagem das rotas, mapas, caminhos alternativos etc.

Para haver consecução e levar sua equipe ao sucesso, não deixe que o acaso tome conta de suas decisões. Planeje em como atingir os objetivos de sua equipe.

8. Falta de apoio da gerência;

O apoio dos líderes é decisivo para que os resultados apareçam. Os líderes podem apoiar sua equipe por simplesmente mostrar reconhecimento. Quando os líderes só assumem os acertos, com certeza há grande desmotivação.

9. Inabilidade para lidar com conflitos;

Posso garantir que esse quesito está no topo da lista. Infelizmente, muitos líderes ainda são promovidos não por meritocracia e sim por nepotismo ou amizade. Quando as coisas vão bem, tudo acaba bem, como diz o ditado. Mas, quando surgem conflitos, os da dianteira esbarram em seus egos e inabilidades para resolvê-los. O resultado é uma equipe que se transforma num barril de pólvora. Se pretende liderar visando resultados, precisará ser um hábil negociador.

10. Falta de Treinamento em habilidades de trabalho em equipe, em todos os níveis;

Trabalhei em algumas empresas, que era um verdadeiro samba do crioulo doido. Cada um trabalhava para si próprio, sem se importar com seus colegas. Tudo valia para se conseguir o que se desejava. O resultado era um eterno e frenético vai e vem dos gerentes apagando constantes incêndios. Se pretende que sua equipe alcance a excelência, trabalhe no sentido de que todos saibam qual o seu lugar e o que deve ser feito. O trabalho em equipe é um dos tripés do sucesso.

Essas razões foram as mais sensíveis na pesquisa dos envolvidos. O trabalho em equipe é uma ferramenta importante, porém é preciso muita habilidade do líder em conduzir.

Um grande abraço a todos,

Fernando Fernandes

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 Comentários
  • Paulo Roberto
    6 de janeiro de 2012 ás 15:03

    Peço licença ao prezado Fernando para dizer que acima de tudo, o líder não é líder e equipe não é equipe, se não estiverem determinados a cumprir a Missão, a Visão e o Compromisso previamente definidos pela empresa.Isso somente ocorrerá com o tempo, após um trabalho de conscientização através do Endomarketing(marketing interno) utilizando-se da ferramenta comunicação interna, para sedimentá-las dentro da empresa. Somente após isso haverá chance para um líder ter condições de ver o seu trabalho com a equipe, fruir de forma satisfatoria perante aos públicos interno e externo da empresa. O maestro deverá apenas estabelecer os seus movimentos de forma harmônica e direcionada para que a sintonia seja única e abrangente, encantando os públicos interno(a orquestra) e o externo(o público alvo externo)partido-se daí para a fidelização.

  • Luiz Monteiro Filliettaz
    9 de janeiro de 2012 ás 10:05

    Gostei muito de todos os pontos e da clareza expositiva. Obrigado.

  • Erlan Angelo Queiroz Leal
    14 de janeiro de 2012 ás 11:03

    Fernando, a sua matéria foi muito bem descrita e enfoca o que realmente precisamos para sermos cada vez mais, líderes de sucessos. O Brasil hoje, precisa de bons líderes que tenham essa visão e que consiga realmente fazer as coisas acontecerem, lógico baseado sempre em fortes valores, como carater, repugnar a corrupção e comprometimento. Um abraço, Erlan!

  • Alberto Araujo Junior
    24 de janeiro de 2012 ás 14:09

    Fernando, escelente matéria, parace que eu estava me vendo quando estou envolvido em um programa de consultoria de gestão, os pilares citados são ótimos, atuais. Parabéns

  • Frankc José de Andrade Medeiros
    9 de dezembro de 2014 ás 11:14

    Excelentes dicas, Fernandes!
    Se me permite, acrescentarei mais uma, que acredito ser fundamental: a falta de comunicação por parte dos líderes aos seus colaboradores.

  • Tarcísio Miranda
    9 de dezembro de 2014 ás 11:23

    Caro Fernando, gostei da matéria e me vi completamente dentro dela. Nós, líderes temos que sempre ficar atentos buscando o conhecimento, estudando e colocando em prática tudo que satisfaça a organização e a sua equipe de trabalho, isso é fundamental para o desenvolvimento e crescimento de todos.

  • DANIEL
    2 de novembro de 2015 ás 10:43

    No termo “grande maioria” há uma redundância, pois, a palavra “maioria” significa que é a maior parte. Da mesma forma que não existe “pequena maioria”. Assim, basta dizer que é a “maioria” e a frase está adequada à ideia proposta.

  • Fernando Fernandes
    2 de novembro de 2015 ás 12:53

    Olá Daniel

    Obrigado por sua ajuda em nos corrigir. Às vezes nos entregamos aos vícios de linguagem.

    Já fiz a correção no artigo.

    Volte sempre.
    Grande abraço,
    Fernando

Total
0