E-mail: cases@programacases.com.br
Siga-nos:
Topo

E se fôssemos inquilinos do Planeta Terra?

E se fôssemos inquilinos do Planeta Terra?

terra

Quem já foi colocatário, sabe muito bem as dores de cabeça, quando aluga um imóvel para um inquilino sem respeito com a propriedade alheia. Temos visto nos noticiários sobre pessoas e famílias que são despejadas por depredamento e má conservação dos imóveis que alugaram. Felizmente, as leis têm favorecido os proprietários, que hoje podem despejar com mais facilidade os inquilinos trapalhões.

Claro que estamos falando de uma grande minoria. Tenho absoluta certeza que as pessoas de modo geral, cuidam bem de seus imóveis. Sabem que custa caro restaurar. É mais fácil e mais econômico preservar. Esse deve ser também o pensamento do caro leitor. No entanto, gostaria de chamar à atenção, para aquilo que estamos fazendo com o nosso Planeta. Sim, a Terra é o nosso lar, o único habitado concretamente. Sendo assim, o que nós, de forma coletiva, estamos fazendo para preservar esse lindo lar?

Resumindo, nós estamos causando a maior destruição e devastação jamais vista. Se não vejamos.

Poluição da água doce

r

Quando era criança, fui ensinado que a água era um bem infinito. Naquela época, não tínhamos a menor noção sobre a possibilidade desse bem quase vir a desaparecer. Usávamos a água sem nenhum compromisso com o futuro. Hoje, infelizmente, sabemos que esse precioso líquido está quase esgotado. Infelizmente, apenas 2,5% da água do planeta Terra são de água doce, sendo que apenas 0,08% está em regiões acessíveis ao ser humano. Sendo que o Brasil concentra a maior parte desse tesouro. Apesar de nossa consciência sócio ambiental estar mais apurada do que nunca, estamos poluindo nosso mais precioso bem.

Quais as causas?

As principais causas da deteriorização dos rios, lagos e dos oceanos são: poluição e contaminação por poluentes e esgotos. O ser humano tem causado todo este prejuízo à natureza, através dos lixos, esgotos, dejetos químicos industriais e mineração sem contro

Poluição dos Oceanos

Quando fui pela primeira vez à praia de Copacabana, fiquei impressionado com duas coisas. Com as ondas e com a cristalinidade da água. Claro que não sabia usar esse termo. Apenas disse à minha mãe que gostava de ver a água clarinha. Cinquenta anos depois, quanta coisa mudou nos oceanos, e claro, em Copacabana.

Cerca de 77% dos poluentes despejados vêm de fontes terrestres e tendem a se concentrar nas regiões costeiras, justamente o habitat marinho mais vulnerável, e também o mais habitado por seres humanos. A população que mora no litoral ou nele passeia nos finais de semana e feriados é uma das grandes responsáveis pelo lixo que acaba se depositando no fundo do mar. Produzimos cada vez mais lixo e nos descartamos dele com uma velocidade cada vez maior.

Um estudo feito pela Academia Nacional de Ciências dos EUA estima que 14 bilhões de quilos de lixo são jogados (sem querer ou intencionalmente) nos oceanos todos os anos. Não é à toa que as descargas de detritos urbanos produzam efeitos tão nocivos. O Mar está sendo poluído com todo tipo de dejeto, como plásticos, petróleo, metais pesados, esgoto e lixo produzido pelo homem. Nessa quebra de braço, tanto o homem como a fauna marinha vem perdendo. Note o que disse um estudo realizado com uma espécie de ave marinha:

“Semelhantes a gaivotas e albatrozes, os fulmares são considerados “sentinelas” da preservação marinha. Das 67 aves analisadas, 92% tinham algum tipo de plástico no estômago, como cordas, papel de bala, isopor, entre outros. O estudo foi publicado na versão online do periódico Marine Pollution Bulletin. Uma média de 36,8 pedaços de plástico por ave foi encontrada. O peso total do plástico era de 0,385 gramas por pássaro. No estômago de um pássaro pesquisado foram encontradas 454 pedaços de plástico”.

Caso você não ainda não esteja convencido do que estamos causando aos oceanos, clique e vejas as fotos. Acredito que serão contundentes. Assim como eu, muitos acreditavam que apenas nós do terceiro mundo poluíamos as praias. No entanto, as praias do mediterrâneo e as europeias estão sendo dizimadas pela mão do homem. Note o que disse uma reportagem recentemente:

“A cada ano, as águas do Mediterrâneo recebem:

  • 9 milhões de toneladas de resíduos industriais e domésticos não tratados, 60% produzidos por França, Itália e Espanha;
  • 15 milhões de toneladas de detritos produzidos por 200 milhões de turistas que visitam suas praias;
  •  600.000 toneladas de petróleo derramadas por navios durante o movimento de carga e descarga e 30.000 toneladas perdidas em acidentes;
  •  Redes de pesca e embalagens plásticas, responsáveis pela morte de 50.000 focas, que confundem esses objetos com alimentos”. (com informações da Revista Veja).

Poluição do solo

Uma das grandes preocupações dos especialistas é “o que vamos fazer a curto prazo com o lixo que produzimos?” Para ter uma noção mais ampla do problema, comenta um site especializado, tomemos a cidade de São Paulo como exemplo, em média cada pessoa produz diariamente entre 800 g a 1 kg de lixo diariamente, ou de 4 a 6 litros de dejetos, por dia são gerados 15.000 toneladas de lixo, isso corresponde a 3.750 caminhões carregados diariamente. Em um ano esses caminhões enfileirados cobririam o trajeto entre a cidade de São Paulo e Nova Iorque, ida e volta.

Também, estamos poluindo o campo com toneladas de agrotóxicos usados nas plantações e lavouras Brasil a fora. Os resíduos estão chegando aos lençóis freáticos, causando danos catastróficos. Clique e vejas a fotos.

 Poluição do ar e do espaço

 LIXOESPACIALBYNASA

 

Para finalizar, os homens não satisfeitos de poluírem nossa atmosfera com toneladas de gases nocivos, resolveram poluir nosso espaço. A foto publicada, fala por si. A foto não é uma montagem. Cortesia da NASA. Isso quer dizer que para onde quer que olhemos, iremos encontrar a mão devastadora do ser humano. Diante de todos os argumentos apresentados, posso responder a pergunta do artigo. Sim, com certeza, se fôssemos inquilinos do Planeta Terra, já teríamos sido despejados há muito tempo.

Falamos muito no coletivo, mas o que temos feito individualmente? Será que prezamos o presente que recebemos de nosso Criador? Você tem feito sua parte?

Espero que o ano de 2013 nos desperte. Precisamos parar de falar e começar a agir.

Grande abraço a todos,

Fernando Fernandes

www.programacases.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sem comentários
  • Rosana Farias
    5 de janeiro de 2013 ás 14:27

    E a produção em massa continua… A quem mais interessa a ignorância da população?

    • ffescritor
      5 de janeiro de 2013 ás 16:07

      Oi Rosana, muito obrigado por sua visita e por seu comentário. É verdade, a ignorância ainda rende muitos votos.
      Por favor, compartilhe e volte sempre.
      Bom fim de semana.
      Fernando

Total
0