E-mail: cases@programacases.com.br
Siga-nos:
Topo

Economia Criativa para um país criativo

Economia Criativa para um país criativo

 

Economia Criativa é a capacidade de gerar riqueza para uma região a partir do conhecimento, arte e cultura de um determinado local. Com essa economia se contribui para um desenvolvimento sustentável. Mas assim como os negócios da economia tradicional, é preciso muita organização para que um novo negócio na economia criativa perdure.

 

No Brasil, São Paulo concentra 15% dos mais de 4 milhões de profissionais criativos do Brasil (Dados de 2010). Na cidade de São Paulo a economia criativa representa 10% do PIB da cidade, e no Brasil a Economia Criativa gerou R$ 95 Bilhões. No mundo estima-se que a economia criativa gere 1,8 tri de dólares, mas o Brasil não figura entre as 20 maiores potências da Economia Criativa que são EUA, Alemanha e China. A renda de dos trabalhadores da economia criativa chega a ser 80% maior do que a renda dos trabalhadores dos demais setores econômicos.

 

E tudo começa com uma ideia inovadora que associada a intenção de trazer desenvolvimento para uma determinada região e associada a utilização de cultura local, acaba por se transformar em um novo negócio. A economia criativa tem hoje como seus maiores porta vozes as áreas de Design, arquitetura, tecnologia e mídia. Conforme a indústria de transformação migra dos grandes centros urbanos para locais mais afastados, onde os custos de produção são menores, as grandes cidades do mundo cada vez mais se fortalecem com base na economia criativa, mantendo a ideia central do negócio aonde ela foi criada. Um exemplo é o iPhone, que teve seu conceito criado na Apple dos EUA mas que é produzido na Ásia e utiliza aplicativos desenvolvidos nos quatro cantos do mundo. Aqui em Santa Catarina podemos citar o exemplo da Liverpool Camisetas que por meio de estampas criativas e ligadas a música vem se tornando cada vez mais uma referência na moda brasileira com suas estampas super criativas.

 

O desenvolvimento de mídia e a arte em geral, que também são propulsores da economia criativa, também sofreu um boom muito interessante. Com o crescimento da classe C e ampliação do acesso a internet, passou-se a “consumir” muito mais esse tipo de produto e hoje em dia temos Brasil afora um aumento significativo no número de exposições e que dependendo da temática temos filas enormes de pessoas ávidas a “consumir” essa arte. O Brasil também vem ano a ano ganhando mais reconhecimento mundo afora por suas produções de mídia, sejam documentários, novelas ou cartoons, e a tendência é que esse reconhecimento aumente mais e mais, e que o mundo, principalmente os mercados emergentes consumam com voracidade nossa cultura e conhecimento.

 

A Economia Criativa ainda é um território pouco explorado no Brasil, e esconde milhares de oportunidades para pessoas criativas, empreendedoras e dispostas a batalhar por seus ideais, ou seja, a economia criativa é a cara do povo brasileiro, uma chance e tanto num momento excelente para se empreender aqui no Brasil. Então se você tem uma ideia criativa e muita disposição, organize-se e aproveite esse momento.

Grande abraço,

Rafael Borin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sem comentários
Total
0