E-mail: cases@programacases.com.br
Siga-nos:
Topo

Empresas Obesas, Potencial Para a Decadência, parte I

Empresas Obesas, Potencial Para a Decadência, parte I

Nos seres humanos adultos, a ingestão de gorduras, através dos alimentos, faz com que um corpo saudável, transforme a gordura em energia. Até aí tudo bem. O problema acontece quando as pessoas começam a ingerir gordura, mais do que o corpo pode processar. O resultado é simples. O corpo começa a estocar a gordura excedente, transformado-a em gordura nociva à saúde. É assim que surge a barriguinha, o culote, a celulite e as doenças coronarianas. E se nada for feito, a morte.

As empresas também podem apresentar obesidade e, em certos casos, até obesidade mórbida. Num adulto, é importante ter o IMC (índice de massa corpórea) equilibrado, musculatura rígida e ossos saudáveis. Isso permite uma vida mais longa, locomoção ágil e perfeita. Nas empresas é a mesma coisa. Uma estrutura leve e enxuta é um dos segredos para a longevidade. A perenidade só acontecerá, com a prática e a utilização de hábitos saudáveis, como: gestão equilibrada, foco, determinação e uso inteligente dos recursos; o que tem feito, por exemplo, empresas como a AMBEVI.

Ainda no caso das empresas, também existe o fenômeno da fome compulsiva. Algumas desenvolvem o mau hábito da aquisição, da fusão etc., apenas a compra pela compra, só para serem ainda maiores. Esse problema assolou empresas como HP, MOTOROLA, AT&T, HIPERMARCAS e muitas outras. Empresas outrora esbeltas e ágeis, tornaram-se obesas e lentas.

Assim como nos humanos, a gordura em excesso pode causar a morte. Empresas obesas também podem desenvolver doenças fatais, como: LETARGIA, DIFICULDADE EM DAR RESPOSTAS RÁPIDAS, COMPLACÊNCIA e COMODISMO. Finalmente, podem apresentar sangria, com pouca possibilidade de estancamento. Neste estado, estão várias empresas que há poucos anos eram saudáveis, e hoje estão à beira da falência.
É por isso que quando as empresas entram em dificuldades, escutamos várias vezes a frase: precisamos cortar a gordura. O IMC delas (ÍNDICE MÁXIMO DE COMPROMETIMENTO) deve sempre estar na pauta de seus gestores.

A gula, com certeza, ainda causará muitas vítimas corporativa, deixando muitas viúvas e órfãos. Se a sua empresa se encontra em alguma das situações aqui mencionadas, recomendamos imediatamente que comece uma dieta. Saiba como nos nossos próximos artigos.

Desejo a todos muito sucesso. Cuidado com a gula.
Abraços,

Fernando Fernandes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 Comentários
  • lucia
    23 de abril de 2012 ás 15:04

    Bem pertinente a comparação. Realmente a forma de administrar uma empresa é bem parecida com a vida: Estar sempre atento aos excessos.

  • Diogo Marcolino Constantino
    29 de abril de 2012 ás 06:18

    Adorei a tua abordagem.

  • jose adalberto de souza
    2 de junho de 2012 ás 13:58

    boa tarde eu asisto seu programa todos os sabados e acho exelente e me abasteso com ideias e dicas muito importantes , pois estou ingressando na carreira de palestrante, dou palestras vocacinais, motivacional,familiar,nos seres humanos somos pegados a materia, estamos sempre dizendo nao a mudanças e com medo do diferente, do novo , mas as vezes para seguir em frente é preciso mudar seja por bem ou por mal . att obrigado adalberto 99620128

  • Paulo Cezar Versieux
    23 de junho de 2014 ás 08:11

    Excelente tema, parabéns

Total
0