E-mail: cases@programacases.com.br
Siga-nos:
Topo

Fui demitido, e agora?

Fui demitido, e agora?

Quando escrevi esse artigo, tínhamos menos de 7 milhões de desempregados. Hoje, estamos próximos de 15 milhões. Com a nossa economia em frangalhos e a confiança abalada, ninguém sabe aonde vamos parar. A estabilidade evaporou. Assim, resolvi postar mais uma vez, um de nossos artigos com o maior índice de compartilhamento no LinkedIn; foram quase dois mil compartilhamentos. Espero que gostem.

“Quando em dúvida, fale a verdade” – Mark Tawin

 Poucas pessoas nesse planeta não tiveram o dissabor de um dia serem demitidas. Quando acontece, posso afirmar que sobe um o gosto amargo  do estômago e vai para a boca, permanecendo por muitos dias. No meu caso, toda a filial foi demitida. Nossa empresa fechou a delegação do Rio de Janeiro, e todos foram para o olho da rua.

Caso esteja passando por esse momento, gostaria de dizer algumas palavras, e quem sabe, reanimá-lo para continuar batalhando.

Se você acaba de ser demitido, a primeira coisa que precisa fazer é esfriar a cabeça. Nesse momento, ideias sombrias costumam assolar as mentes dos demissionários. Acredite que o mundo não vai acabar, e 90% das desgraças que passarão por sua cabeça, nunca acontecerão.

O que eu  sempre aconselho é tirar alguns dias de folga para “juntar os cacos” e por as ideias no lugar. Tire uns dias de férias, se possível com a família. Esvazie a mente, crie laços ainda mais profundos com sua família e renove suas baterias. Acredite você vai precisar disso em sua jornada à frente.

Outra coisa importante é nunca deixar que esse fato atinja sua autoestima. Não deixe que sua atitude seja influenciada. Acredite mais do que nunca em seu potencial. Uma demissão, não é uma assinatura de que “você não é bom profissional”. Lembre-se que  só será derrubado, se você permitir. Já vi pessoas que nunca mais se recuperam após serem demitidas. Isso só acontece quando permitimos. Infelizmente acabará percebendo que afinal, você não tinha tantos amigos como imaginava. Muitos deles partirão quando souberem de sua tragédia. Mas isso não é de todo ruim, servirá para você “separar o joio do trigo”.

“Há dois momentos na vida para você saber algo sobre seus amigos. A riqueza e a pobreza. Na riqueza, descobrirá a quantidade”.

Agora, com um currículo bem elaborado nas mãos e seu perfil hiper refinado no Linkedin, procure ativar seu Network. Sua rede de relacionamentos, nesse momento, é a alavanca mais importante para tirá-lo de onde está, e catapultá-lo para uma nova empresa. Visite seus antigos colegas e gerentes. Faça um bom marketing pessoal; ande bem vestido. Às vezes, desafios como esse, são necessários para nos acordar e realinharmos algumas prioridades. Por favor, nunca, mas nunca mesmo, saia de casa desleixado ou com a barba por fazer.

Mesmo que não consiga uma nova empresa nas próximas semanas, não baixe a cabeça. É assim mesmo. Nem sempre as coisas acontecem no “time” que precisamos. Até que surja uma nova oportundiade, calma, paciência e muita persistência serão necessárias.Você precisará ser muito resiliente.

Há algo muito importante que gostaria que fizesse. Divida sempre suas aflições com sua família. Ela sempre será seu porto seguro.

Tive um colega que foi demitido. Com medo de falar a verdade para  sua família, todos os dias saía de casa “para trabalhar”. Manteve essa rotina por dias a fio.Ficava perambulando pela rua até dar a hora de voltar. Após 30  dias nessa agonia, eu o aconselhei a falar a verdade. Ele estava exausto. Foi um grande alívio para meu amigo, quando   finalmente decidiu comentar com sua família. Todos os membros o acolheram e deram a ele a força de que precisava.

Se o elevador para o sucesso está sempre ocupado, use a escada de serviço.” – Zig Ziglar

Grande abraço a todos,

Fernando Fernandes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 Comentários
  • Eduardo Estevão
    26 de março de 2015 ás 08:46

    Caro Fernando:
    Existem demissões e demissões, a única porque sofri e foi agora no final de carreira, pois a decepção foi tão grande, que optei por me aposentar. Fui demitido em plena atividade, com muito gás, com uma performance até superior as anteriores, onde consegui me destacar com uma lucratividade e rentabilidade acima de qualquer questionamento. A relação lucro x despesa totalmente equalizada, com o mínimo de gastos possíveis e extraindo uma produtividade da equipe acima da normalidade de toda a Empresa, onde TODOS os objetivos e metas traçados pela Empresa, foram ultrapassados com larga folga, apesar de eu fazer os “forecasts” semestrais aumentando os mesmos sempre.
    No final fui demitido simplesmente sem nenhum porque da mesma, apesar de cobrar os motivos ao meu Gerente Nacional e a Gerente de RH e os 2 me disseram não terem o que me dizerem, haja vista a excelente performance desempenhada e as avaliações colhidas. Mas na “rádio corredor” o motivo era que eu era obeso e estava me destacando muito acima dos “normais”, criando assim um clima de insatisfação e constrangimento a “geração saúde” de colegas mais novos, e a animosidade, desrespeito e grosseria e falta de preparo total do Presidente da Empresa para com seus colaboradores, principalmente quando algum debatia alguma determinação absurda por ele passada, o que nunca aceitei calado e procurava nas reuniões mostrar-lhe o engano que estava cometendo, tentando sempre o melhor pra empresa. O cara era tão ditador, que como o meu Gerente Nacional e a Gerente do RH, questionaram a ele qual motivo deveriam me passar pra minha demissão, que eu estava cobrando ele lhes disse que ficassem calados, pois não precisava dar explicação nenhuma numa decisão dele. E no mês seguinte demitiu o meu Gerente Nacional e no outro mês a Gerente de RH, porque ousaram cobrar a ele sobre a minha demissão. Então fica difícil não se ficar ressentido e decepcionado com uma situação dessas enfrentada.
    Abraços.

  • Rodrigo
    27 de março de 2015 ás 15:35

    Excelente texto!
    Nunca passei por isso, mas fica a dica, acaso um dia aconteçer.

    a parte que fala sobre amigos na riqueza e na pobreza é o que tenho vivido hoje.

    Obrigado por compartilhar desta preciosidade!

  • Iara Raposo
    28 de março de 2015 ás 23:19

    Boa! Passei por isso ha 3 meses.. aproveitei bastante o verão, viajei e esfriei a cabeca. Um corte de 30 pesaoas em pleno Natal e num momento que estava tao feliz e com gás para crescer nao é facil. Infelizmente nosso país está num momento complicado e ainda nao me recoloquei . DESISTIR? JAMAIS! Todos os dias sigo em busca se uma nova opoetunidade e o mais importante: sei que sou capaz de ir muito além! Grande abraço a todos.

  • Leonel
    3 de abril de 2015 ás 23:38

    Em 2005, após 16 anos na empresa, fui demitido. Imediatamente após a notícia, por incrível que possa parecer, comecei a passar ao meu companheiro de trabalho toda situação de pendências e onde se encontrava a documentação correlata. Este me olhava de forma incrédula, sem acreditar no que via. Mais tarde, ao pensar naquele episódio, tudo fez sentido. Durante todo aquele período, ganhei prêmio por desenvolver cartões de controle de produção, desenvolvi as especificações de todos os processos produtivos com desenhos, parâmetros dos processos e viajei aos EUA para conectar este sistema local ao sistema corporativo que depois mostrou-se muito eficaz no desenvolvimento de novos produtos. Na medida em que o tempo passava, pensei que seria recompensado com uma promoção pelos meus feitos. Dia-a-dia, via novos funcionários chegando e tornando se meus chefes. Então, naquele momento da demissão, me sentia completamente aliviado. Após isso percebi que o talento e dedicação tem sua parte no sucesso porém, o mais importante é a aceitação das outras pessoas, a qual você terá de dispor de muito mais tempo que a propria realização do seu trabalho, usando de muita paciência no trato com as pessoas, isto sem considerar todos aqueles “sapos” desnecessários que terá de engolir.ou seja, ser tão hipócrita quanto eles mesmos. A partir daí, passei a fazer sempre o meu serviço da mesma maneira, sempre dando o melhor de mim, sem esperar recompensas. Mesmo assim, as pessoas percebendo que seu trabalho poderia ter uma maior visibilidade, elas tentam de todas as maneiras inválida lo. Desta maneira, meus amigos, muita paciencia, e que tenham superiores honestos e realmente e verdadeiramente engajados com os seus subordinados. Lembrando que Deus não permite que tenhamos um fardo maior do que aquele que podemos suportar. Sucesso a todos.

  • Rogério
    20 de junho de 2015 ás 19:31

    Olá Fernando!!! Eu fiz uma opção a 9 meses atrás de me desligar da empresa em que trabalhava já a 15 anos. Entrei em um stress tremendo, com uma péssima gerência que não é liderança, fui me desgastando e aos poucos ouvi de meu médico o diagnóstico: Deixe este emprego, ou deixe sua família órfã, porque aí não dá mais para você, o final não será bom. Dai, depois de 1,5 anos pensando e vivendo de remédios controlados, decidi me desligar da empresa. Realmente ainda estou desempregado, e me bate o medo de todos os dias, tb porque o Brasil passa por uma crise complicada que eu nem esperava que ocorresse. Mas sinceramente, não sei o porque, mas não me arrependo de ter tomado esta decisão, pois deixei o tratamento e os medicamentos de lado, vivo ainda angustiado com a falta de emprego. Estou trabalhando por conta própria, o que ainda não me traz uma renda significativa, mas me traz alegria. Bom vou lutando, a vida é assim, tenho enviado meus currículos e aguardando a oportunidade certa, acredito que quando fechamos uma porta que não estava mais dando certo, Deus nos ajudará com nosso esforço, a encontrar outra porta, ou quem sabe uma janela né?? Belo artigo, forte abç.
    Rogério.

  • João Queiroz
    21 de junho de 2015 ás 16:07

    Prezado Fernando,
    Em relação ao texto, a única coisa errada é que poucas pessoas tiveram o dissabor de serem demitidos. Esta ação é perfeitamente normal, pois a relação de trabalho é um contrato comercial, em que ambos os lados tem interesses próprios e mútuos. A partir do momento que algum interesse próprio não é atendido, então um dos dois lados procura um novo caminho. Em resumo, que seja bom enquanto dure e não existe amor para ponderar caso um dos lados perca o interesse. Portanto, coitado de quem pensa que é insubstituível. Inocência nos tempos de hoje, chega a ser ignorância.

  • Sergio Fernandes da Silva
    22 de junho de 2015 ás 15:34

    Boas colocações e alguns exemplos rais mas cada uma passa pelo que tem que passar. Vejo que hoje em dia o principal em qualquer empresa é o FATURAMENTO, o lucro quanto maior, melhor e nada importa se for diferente. Passo por isso todos os dias, vejo que na empresa em que trabalho é a mesma coisa, lucro, depeza, mais lucro, menos despeza. Enquanto eu conseguir pelo menos diminuir as despezas posso ficar tranquilo. Como todos sabemos, o país está em crise, principalmente na minha região que é extremamente agrícola. Então, não podemos perder tempo pq tempo é dinheiro e o que move a todos nós e nossas empresas é isso. Boa sorte a todos.

  • Mario Souza
    24 de junho de 2015 ás 11:16

    Muito importante a mensagem da família pois esta é a base do sucesso.
    Parabéns pela matéria. ….!!!!

  • Katia
    26 de junho de 2015 ás 16:10

    Excelente texto! Parabéns!

    Para quem ainda está buscando recolocação, eu tenho uma oportunidade de empreender excelente. Quem tiver interesse fico a disposição para esclarecimentos.

    katiacesario6@gmail.com

  • Antonio Cesar Fernandes
    13 de julho de 2015 ás 21:45

    Fernando me permita lhe contar uma situação de demissão vivida por mim a mais ou menos 12 anos,eu trabalhava em uma multinacional e estava prestes a receber mais uma promoção tinha um ótimo relacionamento com meu chefe,realmente posso dizer que eramos amigos, mas ele também recebeu uma promoção e a pessoa que assumiu o lugar dele não se dava bem com ele e consequentemente passou a perseguir as pessoas que eram mais próximos a ele,e como já deve ter deduzido fui um deles,e ela usou a seguinte frase para me demitir, ´´Eu estou te desligando da empresa por você não ser confiável para trabalhar comigo devido a sua proximidade com fulano de tal, meu antigo chefe, cara eu sai de mim, ela conseguiu me triturar com a frase´´ você não é confiável “, tenho muitos princípios, fui criado a moda antiga e aprendi muitas coisas que a pessoa que me demitiu não sabe o que é, mas hoje eu só tenho a agradecer a ela, fui para sala de aula como professor de Química e depois inicie a profissão que me realizei profissionalmente,Representante Comercial, vendedor com muito orgulho já a 10 anos, hoje tenho ganho superior aos que meus colegas que ainda trabalham nesta empresa tem e a desilusão da demissão ficou para traz, como tudo na vida passa essa amarga sensação também passou.

    Abraços.

  • Claudio Silva
    5 de outubro de 2015 ás 17:16

    Estou passando por este momento, fui demitido no dia 01/10/2015. Realmente muita coisa passa pela cabeça e muitas delas negativas. Um medo vem a toda e a respiração acabando ficando cada vez mais difícil. Eu decidi contar para minha esposa e meu filho no mesmo dia em que isso ocorreu, foi muito bom, pois me apoiaram e me dão força para continuar a lutar. Meus amigos também, todos os dias me mandam whatsapp, e-mails e indicação de vagas. Sem dúvida isso é muito bom. Porém textos como esse são sem dúvida alguma uma injeção de ânimo. Motiva ainda mais você a querer buscar uma recolocação.

    Muito obrigado por compartilhar essas belas palavras.

Total
0