E-mail: cases@programacases.com.br
Siga-nos:
Topo

Metas – por que são importantes?

Metas – por que são importantes?

O assalto a uma churrascaria no bairro da Tijuca, no dia 13 de Agosto,Rio de Janeiro, foi o fim da carreira criminosa da catarinense Ivone Fernandes de Mendonça, 34. Em troca de tiros com a polícia ela acabou sendo ferida e veio a falecer. Essa notícia tomou conta de quase todos os meios de comunicação.

Fiquei me perguntando por que algumas pessoas se deixam desviar, tendo um final muito similar? Poderíamos aqui devagar sobre um milhão de razões para tal atitude. No entanto, acredito que existe um problema central, a raiz de todos os males. A falta de metas bem definidas contribui muito para que as pessoas levem a vida ao “Deus dará”. Muitas pessoas levam a vida como diz o refrão da música de Zeca Pagodinho, “deixa a vida me levar, vida leva eu”. Acreditam que, em dado momento de suas vidas, acontecerá um milagre que as fará ricas e famosas.

Amigos, levar a vida sem metas, ou sem objetivos, é como brincar de roleta russa. Você até pode se dar bem, mas pode acabar se dando muito mal. Milhões de pessoas jogam suas vidas literalmente na lata do lixo, quando decidem permitir que a “sorte” guie suas vidas. As pessoas com objetivos na vida têm escolhas, as outras aguardam pelo destino.

Quando falo sobre isso em minhas palestras, sempre surge alguém tentando justificar os desvios de conduta com a falta de oportunidades. Mentira! Não acredito nisso. Milhares de pessoas vem desmentindo isso. Pessoas que foram criadas em condições sub-humanas, sem chances de estudar, se tornam pessoas do bem. Algumas conseguem ir além, tornando-se pessoas de sucesso. Quem não conhece o Renato sorriso, ex-gari? Com objetivos e uma grande determinação, conseguiu tornar-se uma referência.

Quando eu falo em metas, não falo em algo vago, mas sim em algo concreto, bem definido que o levará a algum lugar. Cito por exemplo o programa de metas SMART (sigla em inglês). Conhece? Segundo esse programa as metas devem ser:

Específicas – Não colocar algo acima de suas capacidades;

Mesuráveis – Lembre-se do dizer que não pode administrar o que não é medido. Portanto, em vez de dizer «Minha meta é perder peso», diga, «Eu vou pesar 75 quilos». Atingir os 75 quilos é uma meta específica e mensurável;

Atingíveis – suas metas devem ser desafiantes, mas possíveis de ser alcançada;

Relevantes – Sua meta deve ser algo por que vale a pena o esforço;

Temporizáveis – Finalmente, suas metas devem ser alcançadas dentro de período de tempo específico.

Espero que tenham gostado destas dicas. E você já tem sua meta?

Um forte abraço,

Fernando Fernandes

www.programacases.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sem comentários
  • Alan Jorge Silva
    17 de agosto de 2012 ás 14:41

    Bom dia Fernando,

    Mais uma vez gostaria de parabenizá-lo por mais uma matéria inteligente, motivadora e realista. Realmente muitas pessoas vivem esperando a sorte cair em seu colo, sempre dizem que fulano ou sicrano teve sorte na vida, mas é como diz a frase “você vê o que tenho mas não vê o que faço”, e o exemplo do Renato sorriso foi muito bem colocado e gostaria de tomar a liberdade e citar outro exemplo, no caso a jornada do nosso ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva que já ouvi muitos dizerem que ele foi um homem que deu sorte na vida, mas na verdade ele se deparou com uma situação e traçou uma meta a ser alcançada e sua vida e a conquistou, mas isso com muito sacrifício, suor e determinação. Mais uma vez parabéns e espero um dia poder assistir uma de suas palestras ao vivo, abraços.

    • ffescritor
      17 de agosto de 2012 ás 14:49

      Muito obrigado pelas palavras motivadoras. Espero continuar a vê- lo por aqui. Desejo um bom fim de semana.
      abraços do amigo,
      Fernando Fernandes

  • Fernando M. Serson
    18 de agosto de 2012 ás 14:34

    Caros Fernando e demais,

    Bem interessante o texto.

    Ao imaginarmos uma pessoa sem metas, nos perguntamos onde se quer chegar? Metaforicamente um jogador de futebol pode dar um “chutão” para qualquer lugar e aí ver para onde, que direção, que força vai a sua bola.Agora, se “mirar” o gol (essa for a sua meta) vai adequar a força, direção e precisão do seu chute para a bola ir nadireação certa (pretendida!) com a força necessária para não ser alcançada pelo goleiro. Pode dar certo, sem metas? Sim e às vezes acontece.

    No entanto, em nossa vida tanto pessoal quanto profissional – onde os recurso não são ilimitados ao adotarmos metas- com certeza decidiremos de modo e forma mais apropriados como e onde investir esses recursos.

    E, pouco coisa nos dá mais satisfação do que “missão cumprida”, meta alcançada e “gol feito”.

    Abs a todos,

    • ffescritor
      20 de agosto de 2012 ás 12:22

      Caro Fernando, bom dia.

      Muito obrigado por sua participação. Seu exemplo define muito bem o que significa levar uma vida sem metas, parabéns. Espero poder vê-lo mais vezes por aqui. Compartilhe à vontade.
      Abraços e boa semana.
      Fernando Fernandes

  • geraldo gomes
    21 de agosto de 2012 ás 09:50

    Caro amigo Fernando, quero colocar um molho nessa matéria, aliás, com ótimas dicas. Penso que, dentro de nós precisamos pensar sobre “o q vale a pena na vida”! Muitas vezes, segue-se um roteiro, atingisse um objetivo(o q muitos queriam) e esse tal vencedor, se sente infeliz…queria uma opinião sua sobre o q aqui relato!

    • ffescritor
      21 de agosto de 2012 ás 13:44

      Bom dia Geraldo.
      Obrigado por seus comentários, muito pertinentes. Espero poder vê-lo mais vezes em nosso site.
      Abraços,
      Fernando Fernandes

  • Valdir Ribeiro
    21 de agosto de 2012 ás 20:14

    Parabéns, Fernando Fernandes!

    “Aquele que persegue duas coisas de uma só vez não alcança uma delas e deixa a outra escapar.” (Benjamin Franklin);

    A falta de metas é como a estoria da pessoa que fica em dúvida se batalha por um carro ou por uma casa.

    Ao pedir ajuda a Deus, Ele dá à pessoa um trailer…!

    Se focar, a chance de chegar lá aumentará, como já vivenciei isto!

    Fiz um trabalho de Regulação de Sinistros de Transportes, em que a meta era receber R$ 300 mil de Honorários, com a segunda opção em R$ 200 mil, para evitar uma briga na Justiça, que é lenta.

    É que definir um Preço de Trabalho ou Produto é vital.

    É uma meta!

    Assim, decidi impor ao Cliente: O meu preço é tanto, por causa disto e disto…, ou seja bem fundamentado.

    Bom, consegui, por Acordo de Cavalheiros, que é melhor que uma Demanda Judicial, receber R$ 180 mil, o que me deixou satisfeito na ocasião, pois é como diz um Provérbio Chinês (sic): “Ao morrer evite o inferno, em vida evite os tribunais.”

    A grana já gastei, mas ficou o aprendizado sobre perseguir a meta…

    “Se você não é apaixonado pelo que vai fazer, não faça” – Charles Geshke – da Adobe System;

    • ffescritor
      23 de agosto de 2012 ás 14:14

      Caro amigo Valdir.
      Muitíssimo obriagdo pelos eus excelentes comentários. Você nem imagina como fico feliz ao ler interações como a sua. é muito bom saber que há pessoas com as mesmas indignações. Espero poder vê-lo mais vezes em nosso site ou no Blogo comendanto nossos artigos. Parabéns pelas citações.
      Abraços e bom fim de semana.
      Fernando Fernandes

Total
0