E-mail: cases@programacases.com.br
Siga-nos:
Topo

Profissionais de RH agindo estrategicamente errado?

Profissionais de RH agindo estrategicamente errado?

 

As empresas atualmente alardeiam aos quatro ventos que o setor de recursos humanos está trabalhando de forma estratégica. E que traçam seus objetivos relacionados à gestão de pessoas por meio dos indicadores de RH.

 

Mas alguns profissionais deste setor cometem erros terríveis ao realizar um processo de recrutamento e seleção. Os entrevistadores atrasam muito, mesmo quando a entrevista é agendada com antecedência. O candidato sai de casa otimista e ansioso, chega ao local indicado bem antes do horário. Houve caso no qual o entrevistador atrasou mais de duas horas. E, ao aparecer, foi apenas para entregar uma ficha cadastral e depois entrou na sala pedindo para que o candidato fizesse uma redação. Após estas etapas o candidato já está cansado de esperar e ser enrolado. Neste momento, o entrevistador senta a sua frente e começa a entrevista, alguns até se esquecem de se apresentar para o candidato. A ficha cadastral que pedem para ser preenchida parece ser mesmo para enrolá-los, porque quando começa a entrevista eles fazem as perguntas que já foram respondidas na tal ficha.

 

Ninguém me contou isto, eu mesma participei de algumas entrevistas para escrever sobre o assunto. Notei que as empresas são bem organizadas para escrever um anúncio de uma vaga. Às vezes pedem qualificação que nem em sonho o profissional irá usar.

Como alguns dizem, são os pseudo-super profissionais de RH. Alguns demonstram sua arrogância e orgulho por atrasarem ou por esnobar o candidato com piadinhas de mau gosto. Dinâmicas de grupo que nada servem, a não ser para humilhar os profissionais. Estressam os candidatos com fichas enormes que nem a receita federal pediria para nós. Mas em minha opinião o pior de tudo é o entrevistador realizar a entrevista com desdém como se tivesse nos fazendo um grande favor de tirar o seu tempo para nos entrevistar.

 

Eu acompanhei alguns casos de colegas e resolvi me candidatar para algumas vagas. Vi o total desrespeito e falta de ética. Algumas empresas de recrutamento são peritas em nos convencer que temos o perfil de uma vaga que está aberta, mas quando vamos analisar a questão é uma empresa que deseja cobrar de desempregados para ajudá-los a arrumarem um trabalho. E quanto à ficha cadastral, eu ouço de alguns profissionais que elas são apenas para checar as informações, mas pense bem, não seria prudente antes de receber um candidato, fazerem isto? Estamos com a internet a nossa disposição, podemos checar as informações antes para depois entrevistar. Sem mencionar que em uma entrevista, além de esperar e preencher a ficha, eu esperei mais pela entrevista, vi o entrevistador olhar várias vezes para o relógio e depois me disse que, visto que inglês era mandatório, ele pediria para uma pessoa qualificada me ligar para me entrevistar em inglês. Achei interessante uma empresa que “precisa” que todos teoricamente falem fluentemente Inglês, não tenha contratado um recrutador capaz de pelo menos fazer duas ou três perguntas em Inglês. O pior é que após a entrevista, muitos candidatos nem sequer recebem um e-mail comunicando se ele passou ou não no processo. Estes comportamentos mancham a reputação do setor de recursos humanos.

 

Mas não posso deixar de citar uma excelente entrevista que participei, na Michael Page. Eu me candidatei a uma vaga e em menos de dois dias já me ligaram para agendar a entrevista. Otávio Serra foi o entrevistador, ele estava muito bem preparado, respeitoso e acima de tudo, interessado no candidato. Não estava robotizado. A conversa fluiu muito bem. E neste dia eu estava exatamente ali para verificar se o atendimento deles era bom como havia mencionado alguns dos meus entrevistados. Eu sei que fui tão bem atendida, que me deu até dó de não estar realmente como candidata a tal vaga. Conversei com alguns profissionais que já conseguiram emprego pela Michael Page e eles me disseram que além de não ter sido cobrado nada deles, foram muito bem atendidos.

 

As empresas devem urgentemente repensar o modelo de gestão de pessoas, além de contratarem para o setor de recursos humanos profissionais qualificados. E a todos os profissionais de Recursos humanos que amam alardear este título, aconselho a repensar a sua conduta, afinal amanhã vocês podem passar pela mesma situação. Já vi muitos gerentes de Rh orgulhosos e prepotentes serem demitidos e depois passarem pela mesma situação que faziam os candidatos passarem. Pensem bem. Atendam seus candidatos como sendo pessoas, demonstre empatia e respeito.

 

Marcineia Oliveira – é escritora e consultora para desenvolvimento humano na Inner Smart.
Autora do livro Liderança Offshore e Não Atenda clientes. Atenda Pessoas. Editora Brasport.


www.innersmart.com.br
www.marcineiaoliveira.com.br

Marcineia Oliveira
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 Comentários
  • roland adam
    11 de outubro de 2014 ás 20:16

    Artigo muito bom! Mostra a realidade do mercado de trabalho,de ambos os lados, mas o que deveriam atendar que são pessoas e que precisam ser atendidas,e não exigências absurdas que qualquer papel aceita.

  • Nilda Martins
    12 de outubro de 2014 ás 00:40

    Bom dia!
    Acabo de ler sua materia e simplesmente adorei!
    Parabens

    Nilda Martins
    Gestao RH Unopar

  • Ligia Fernandes
    15 de outubro de 2014 ás 11:06

    Perfeita a sua colocação é isso mesmo que acontece e quando é com cargo operacional então…
    Sou do RH de uma empresa e o volume de contratação da área operacional é grande, alguns possuem até dificuldade com o dinheiro da passagem para a entrevista, logo nós temos a preocupação e importância com esses candidatos e todos desta área deveriam refletir mais sobre o tratamento dado a esses candidatos.

  • SARA LANA
    15 de outubro de 2014 ás 20:37

    Ótima matéria!

  • LUIZ GONÇALVES DO AMARANTE
    16 de outubro de 2014 ás 14:04

    Boa tarde,

    Gostaria de acrescentar que, recentemente, participei do processo seletivo de uma empresa em Salvador, que além do atraso e o preenchimento da ficha, já citada, ainda tivemos que fazer uma prova, primária, de matemática. Lembrando que o cargo era para Coordenador de RH.

  • Marcinéia Oliveira
    30 de outubro de 2014 ás 15:36

    Obrigada a todos pelos excelentes comentários. Os profissionais que atuam no setor de Rh devem lembra-se que atendem pessoas. Empatia é vital.

  • Ellen M. Farré
    20 de fevereiro de 2017 ás 12:12

    Artigo muito bem esclarecido e atual, pois a falta de respeito e empatia entre os entrevistadores está demais.

Total
0