E-mail: cases@programacases.com.br
Siga-nos:
Topo

Reconhecimento, por que as empresas não praticam?

Reconhecimento, por que as empresas não praticam?

Imagine esta cena:

Você como líder, está tranqüilo em seu escritório. De repente, entra uma das estrelas da companhia e começa a falar sobre sua gratidão à companhia, pelas amizades conquistadas, mas anuncia a queima roupa que está deixando a empresa e partindo para a concorrência.
Pode ter certeza que está prestes a enfrentar muitas dores de cabeça.

Você já deve ter passado por isso, ou soube de alguém que enfrentou tal situação.

O líder vendo que perderá uma de suas estrelas começa a argumentar que jamais o deixará partir. Comenta que têm muita consideração pelo seu trabalho, por isso, propõe um aumento de salário mais benefícios extras e BLA! BLA! BLA!

Normalmente tudo o que tentar fazer para recuperar sua estrela não surtirá efeito. Pois o reconhecimento e tudo o que prometeu, deveria ter sido feito lá atrás.

Quem está pedindo demissão, pensa: “Se sou tão importante, porque só agora está me dizendo isso”?

Estudos têm mostrado que quando uma estrela parte, não leva com ela apenas seus melhores Clientes; leva tudo sobre sua empresa e uma forma mais rápida de derrotá-lo como concorrente.

Dê apenas um bom salário, e verá as estrelas da companhia partir para a concorrência. A estrela pode ser seu melhor vendedor, gerente ou diretor.

Não estou dizendo que dinheiro em forma de salário é um mau negócio. Estou querendo dizer que para segurar um bom colaborador, apenas isso não basta. Note o que disse o Dr. Ken Blanchard, uma autoridade mundial em liderança:

“Um bom salário não é mais o único atrativo. É verdade que alguns colaboradores competentes irão para outras empresas atrás de um melhor salário; porém, os colaboradores de hoje geralmente querem mais. Procuram oportunidades em que sintam que suas contribuições são valorizadas e recompensadas.” Ken Blanchard

Como é sabido por todos, uma das maiores necessidades dos seres humanos é receber reconhecimento.
No mundo corporativo não é diferente. Um simples obrigado pode operar milagres.
Às vezes, nem isso conseguimos ouvir, dizem alguns subordinados.

Note o que disse Jack Welch: “Aproveite todas as oportunidades para injetar autoconfiança – abuse dos elogios, quanto mais específico, melhor.”

Quando falo em reconhecimento, falo em reconhecimento de fato, não aquela festinha de fim de ano, que muitos só vão porque são obrigados.
O livro de Bob Nelson pode ajudá-lo a encontrar uma maneira de fazer isso.
1001 maneiras de premiar seus colaboradores

Prestar reconhecimento à sua equipe poderá resultar numa equipe mais disposta e mais receptiva às orientações do líder.

Então vá lá, procure a sua estrela, seu colaborador e diga o quanto o aprecia. O quanto ele é importante para a empresa.

Afinal, liderança tem mais a ver com a disposição do que com a posição.
Um Abraço a todos,
Fernando Fernandes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sem comentários
Total
0