E-mail: cases@programacases.com.br
Siga-nos:
Topo

Saia da mesmice – invista na inovação

Saia da mesmice – invista na inovação

Em meu último artigo sobre mecanismos de fidelização dos clientes, abordei alguns tópicos interessantes. No entanto, gostaria de falar de forma mais destacada sobre evitar a mesmice e investir na inovação. P. Kotler aborda o tema da inovação com muita propriedade. Em seus comentários, sempre menciona a importância da empresa inovar como forma de sobrevivência.Ele compara a guerra pela preferência, como a milhares de pescadores jogando suas linhas tentando fisgar os mesmos peixes.

 

Ou seja, a indústria e seus produtos brigam para conquistar um número muito menor de consumidores, cada vez mais avessos a abordagens das empresas. A pergunta então é: como conquistar o coração do consumidor? Com inovação!

Por exemplo, desde Ray Croc que o McDonald’s, não passava por uma crise tão severa. Talvez seja uma das piores crises de sua história. Por quê? Porque deixou de ser novidade. Seus consumidores estão cansados de verem sempre as mesmas coisas. A empresa que já foi líder mundial contabiliza centenas de lojas fechadas anualmente.

Essa decadência, talvez explique o fenômeno Giraffas. Essa cadeia brasileira de fastfood, hoje presente em outros países, vem crescendo graças em parte à sua inovação. Produtos variados, preços baixos, bom atendimento e um belo layout. É isso que chamo de um atraente mecanismo de fidelização. Essa empresa é apenas um dos exemplos de inovação. O que quero deixar claro é a importância das empresas se reinventarem. Como disse Tom Peters por diversas vezes – inovar ou morrer. Não foi à toa que essa semana a Apple se tornou a empresa com o maior valor de mercado de toda a história da humanidade.

Não podemos acreditar que fazer as mesmas coisas sempre da mesma maneira, produziremos resultados diferentes. Veja o exemplo da Kodak, HP, Motorola, Nokia, RIM e muitas outras. Todas essas empresas já foram líderes de mercado, mas, por se acomodarem, estão em sérios apuros financeiros ou já desapareceram.


Seus consumidores esperam ser surpreendidos, mimados. Chegar à mente de seus clientes e estar lá como primeira opção de compra, nunca foi uma tarefa fácil e nunca será. O que as empresas não podem fazer, é achar que está tudo bem e cruzar os braços. A zona de conforto não é um bom lugar para se descansar.

Espero que tenha gostado e até o próximo artigo.

Fernando Fernandes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 Comentários
  • Salvador G. Lucas
    26 de fevereiro de 2013 ás 15:05

    Muito bom mesmo…oportuno e esclarecedor.

  • Patrícia
    28 de fevereiro de 2013 ás 10:34

    Um assunto que não podemos esquecer. Inovação em todas as áreas em que fazemos parte! Estar sempre atentos!!

  • Henrique Velasque
    18 de março de 2013 ás 14:04

    Parabéns, essa é a perspectiva que todos devem buscar.

  • Hugo Barcelar
    13 de julho de 2013 ás 21:00

    Sempre muito bom poder desfrutar dos seus conhecimentos. Parabéns

  • Patrícia O.
    14 de julho de 2013 ás 20:49

    Fernando,(sou eu ex-nestlé) eu acredito que muitas empresas infelizmente perdem mercado não só pela falta de estratégia, mas o mercado tem altos e baixos, diferencial da concorrência, crise financeira e tendências, são fatores muito, mas muito influenciáveis dentro do contexto e mesmo as empresas prestando a total atenção, ainda caem… existem setores como a Área de Inteligência de Mercado, eles tem dado o seu sangue para sinalisar tudo isso, para que caiam em armadilhas mercadológicas, mas mesmo assim, nem todas as empresas possuem esse setor, que pena!

  • wilson dreux
    14 de outubro de 2013 ás 20:14

    Excelente artigo. A mesmice vem fazendo parte de um todo no mercado nacional. Estou tentando inovar fazendo um diferencial no mercado de imóveis em que estarei atuando em breve. Grande abraço Fernando

  • Carlos Neto
    15 de outubro de 2013 ás 17:20

    Parabéns. É sempre bom aquecer a mente e os corações dos nossos clientes e por meio dos debates, nos renovarmos.

  • victorio mazzei filho
    16 de outubro de 2013 ás 17:15

    Fernando a visão sobre o tema esta clara sem duvida mas não basta apenas avançar com aporte de tecnologia e novos produtos é preciso investir em material humano estabelecendo novos parâmetros de negociação onde exista respeito e transparência na relação comercial a qualidade dessa relação pode salvar um empresa, o transito de informações em campo sadio assegura tomadas de decisão que ajudam a formar plano de ação de longo prazo minimizando riscos de fracassos como os que foram citados por voçe.

  • Valdir Ribeiro
    2 de julho de 2016 ás 20:22

    Obrigado, Fernando! Já passei pela periferia do Céu, de modo que sei o que é isso. É uma delícia ser ou ter a novidade, mas renova-la não é tarefa fácil… Haja inspiração!

  • Adailton Rodrigues
    4 de julho de 2016 ás 16:15

    muito bom,esclarecedor.

Total
0